GPR - Radar de Penetração do Solo

A tecnologia Radar de Penetração no Solo (também conhecida como GPR - Ground Penetrating Radar) utiliza ondas eletromagnéticas transmitidas a partir de uma antena (Tx), que reflete sobre camadas e objetos em subsuperfície. Estas reflexões são captadas por uma antena receptora (Rx), que criam uma imagem da subsuperfície. À medida que o transmissor e uma antena receptora são movidos ao longo da superfície, gera-se um perfil de radar com informações dos materiais em subuperfície.

A profundidade de investigação depende da frequência da antena de transmissão utilizada; na maioria das vezes entre 10 MHz a 3 GHz. Antenas de alta frequência proporcionam maior resolução, ou seja, imageamento de objetos menores. Antenas de baixa frequência, entretanto, conferem maior penetração do sinal, o que aumenta a profundidade de investigação, embora apresentem menor resolução.

O GPR pode ser utilizado em uma variedade de materiais, incluindo rocha, solo, água, gelo e pavimentos e estruturas artificiais, com o objetivo de detectar objetos, espaços vazios, fendas e alterações no material. Essa tecnologia de investigação não invasiva/destrutiva pode ser aplicada em:

  • Inspeções de concreto (localização de vergalhões, dutos, cabos de tensão, vazios estruturais e proteção das barras de reforço);

  • Mapeamento de interferências no subsolo (tubulações metálicas e não metálicas), dutos, objetos enterrados, tanques, fibra ótica, entre outros);

  • Mapeamento arqueológico;

  • Aplicações forenses e de investigação criminal;

  • Pesquisa e Prospecção Mineral (Mapeamento Geológico do comportamento rochoso, matacões e camadas sedimentares);

  • Monitoramento de eventual perda de fluídos através falhas estruturais de tubulações e/ou canaletas;

  • Avaliação de pavimentação rodoviária;

  • Identificação de áreas contaminadas  e determinação do tamanho da pluma contaminante;

  • Identificação de água subterrânea e do nível d'água;

  • Mapeamento de descontinuidades.